Luz

balão rafal olbinski m

Aguardamos uma luz de seiva
que reacenda a treva que nos cega.

Uma luz que não fira a brancura dos muros
nem as sombras dos alpendres
onde plantámos as giestas bravas.

Uma luz que devolva à terra
a farta lembrança das nascentes.

Uma luz para ficar como herança
quando as aves da morte se afastarem
para sempre deste caos
que, assustadoramente, nos acusa.

Graça Pires

Anúncios