A ferida feminina

Segundo a psicoterapeuta Anne Wilson, “Nascer mulher no contexto de uma cultura como a nossa significa que nascemos ‘manchadas’, que existe algo de intrinsecamente errado connosco que nunca pode ser alterado, que os nossos direitos à nascença são logo rotulados de inferiores. Não quero com isto dizer que esta situação se manterá inalterada. Acredito, porém, que temos de ter uma profunda consciência dela antes de podermos modificá-la.”

Claro que ser mulher não é ser inferior, mas isso não altera o facto de as mulheres o vivenciarem dessa forma. Até porque, durante toda a nossa vida, recebemos contínuas mensagens que nos dizem que somos inferiores e que devemos negar as nossas experiências, sentimentos e necessidades. Ao absorver e integrar estas mensagens, estamos a criar e a expandir o núcleo da nossa ferida feminina.

Continuar a ler